Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Incontinência urinária: por que ocorre na menopausa?

5 Setembro 2022

Muitas vezes pensa-se que a incontinência urinária é um problema que afeta exclusivamente os idosos. No entanto, isso não é apenas uma condição da idade, mas pode se desenvolver como resultado de outras condições. Na maioria dos casos é possível preveni-la e controlá-la. Aqui, explicamos como.

O que é incontinência urinária?

A incontinência urinária é a perda do controle da bexiga na expulsão da urina. Aparece como pequenos vazamentos, ocasionalmente ao tossir ou espirrar, ou como nictúria. Em outros casos, você tem uma necessidade tão repentina e forte que não chega ao banheiro a tempo (Hospital Brasília, 2020).

Esta doença afeta qualquer sexo e idade. No entanto, é cerca de duas vezes mais comum em mulheres. Às vezes é temporário, mas também pode se tornar crônico (Shenot, 2021).

Tipos de incontinência urinária

Existem vários tipos de incontinência com seus próprios sintomas (Hospital Brasília, 2020):

  • De esforço: quando pequenas quantidades de urina vazam ao tossir, espirrar, rir, levantar algo pesado ou fazer atividade física.
  • De urgência: a vontade de urinar é muito forte, e pequenas quantidades são perdidas antes de chegar ao banheiro.
  • Misturado: mais de um tipo, neste existe uma combinação normalmente de esforço e urgência.
  • Funcional: quando uma diminuição da capacidade física ou mental impede de chegar a tempo ao banheiro. Como na artrite ou na doença de Alzheimer.
  • Transitório: causado por uma infecção ou um novo medicamento.
  • Xixi na cama (enurese): mais comum em crianças, ocorre enquanto a pessoa dorme. Em adultos, é causada por alguns medicamentos.

Causas da incontinência urinária

As causas podem ser transitórias ou crônicas. Em ambos os casos, existem fatores que podem desencadear ou agravar os sintomas. Por exemplo (Hospital Brasilia, 2020):

  • Fraqueza dos músculos do assoalho pélvico.
  • Bexiga fora de sua posição normal.
  • Infecção do trato urinário.
  • Tumores.
  • Pedras nos rins.
  • Diabetes.
  • Álcool, cafeína, adoçantes, bebidas carbonatadas, chocolate, comidas picantes.
  • Alguns medicamentos, para pressão arterial e cardíaca, sedativos e relaxantes musculares. Altas doses de vitamina C.
Incontinência urinária: por que ocorre na menopausa?

Fatores de risco

Os principais fatores de risco para incontinência são (Hospital Brasilia, 2020):

  • Menopausa.
  • Ser mulher.
  • Período de pós-parto.
  • Gravidez.
  • Obesidade.
  • Ser um adulto mais velho.
  • Ter problemas de próstata.
  • Ter diagnóstico de diabetes.
  • Constipação intestinal.
  • Ser fumante.
  • Defeitos de nascença da bexiga.

Por que a menopausa predispõe à incontinência urinária?

Durante a perimenopausa, há um declínio contínuo de estrogênio e progesterona. Além de intervirem no ciclo menstrual, esses hormônios atuam na regulação da função dos músculos da vagina, uretra, bexiga e músculos do assoalho pélvico.

Considera-se que a diminuição do estrogênio está relacionada ao aparecimento de doenças do trato urinário durante a menopausa. Entre essas doenças, estão o prolapso de órgãos pélvicos, incontinência urinária e infecções recorrentes do trato urinário (Varella, 2018).

Além disso, durante esse período, a diminuição do estrogênio está associada à fraqueza muscular causada pela degeneração relacionada à idade. No entanto, essas doenças também estão associadas ao acúmulo de fatores como partos vaginais, gestações anteriores ou constipação (Varella, 2018).

Diagnóstico de incontinência urinária

Para diagnosticar esta doença o médico pode:

  • Pedir ao paciente para anotar quanto e quando ele ingere líquidos, quando e quanto ele urina, e se ele perde urina.
  • Fazer um exame retal, se você tem ou não incontinência fecal. Da mesma forma, uma revisão vaginal.
  • Exames de sangue e urina.
  • Testes de função da bexiga.
  • Ultrassom, cistoscopia.

Principais medidas de prevenção

Os princípios básicos incluem mudanças no estilo de vihttps://www.tuasaude.com/exercicios-de-kegel/da, como (Burttet, 2021; Varella, 2018):

  • Reduza a cafeína.
  • Se você está com sobrepeso ou obesidade, comece uma alimentação saudável.
  • Treinamento muscular do assoalho pélvico com exercícios de Kegel.
  • Mantenha o diabetes sob controle.
  • Beba bastante líquido, é normal urinar a cada 2 ou 3 horas.
  • Evite o tabaco.
  • Trate a constipação.
  • O uso de medicamentos preventivos não é recomendado atualmente.
  • O tratamento com estrogênio, em alguns casos, pode predispor ao desenvolvimento da doença, devendo ser indicado pelo médico.

Em suma, a menopausa influencia o aparecimento deste problema que, entretanto, pode ser prevenida e tratada. Por esse motivo, você deve consultar um especialista que indicará o tratamento adequado para você.

Referências bibliográficas 

Burttet, L. (2021) Exercícios de Kegel: 4 benefícios para a musculatura pélvica. https://lucasburttet.com.br/exercicios-de-kegel-4-beneficios-para-a-musculatura-pelvica 

Hospital Brasília (2020). Quais são os sintomas e tratamento da incontinência urinária? https://hospitalbrasilia.com.br/pt/sobre-nos/blog/quais-sao-os-sintomas-e-tratamento-da-incontinencia-urinaria 

Saudebemestar (2020) Cistoscopia. https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/urologia/cistoscopia/ 

Shenot, P.J. (2021). Incontinência urinária em adultos. Versão Pública Geral do Manual MSD. https://www.msdmanuals.com/pt/casa/dist%c3%barbios-renais-e-urin%c3%a1rios/dist%c3%barbios-da-mic%c3%a7%c3%a3o/incontin%c3%aancia-urin%c3%a1ria-em-adultos 

Varella, D. (2018). Incontinência urinária. https://bvsms.saude.gov.br/incontinencia-urinaria/ 

Achou esse artigo útil?
Compartilhe com seus amigos:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *