Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Infecção urinária: como reconhecer e prevenir uma

9 Maio 2022

Você sente ardor ou dor ao urinar? Então você pode estar experimentando uma infecção urinária. Este é um problema comum nas mulheres, especialmente na menopausa e na pós-menopausa (Angeluo et al., 2020). Neste artigo, iremos contar para você tudo sobre esta infecção para que possa identificá-la cedo e evitar que aconteça.

O que é uma infecção urinária?

Uma infecção urinária é aquela que se manifesta em qualquer parte do trato urinário (uretra, bexiga, ureteres ou rins), embora a maioria ocorra no trato urinário inferior: a uretra e a bexiga (Mayo Clinic, 2020).

Esta é uma das doenças causadas por bactérias provenientes da pele da região genital ou do ânus. Estas bactérias entram na uretra e se movimentam para cima, podendo infectar o resto do trato urinário (bexiga, ureteres e rins). A mais comum é a escherichia coli, uma bactéria encontrada nos intestinos e no reto (Mayo Clinic, 2020).

Por que as infecções urinárias são tão comuns na menopausa?

A infecção urinária é uma condição comum que ocorre mais frequentemente nas mulheres do que nos homens. Isto se deve, principalmente, a certas características corporais: as mulheres têm uma uretra mais curta e mais próxima do ânus (MedlinePlus, 2020).
A estimativa é que toda mulher antes dos 30 anos de idade tenha tido pelo menos uma infecção urinária. E pelo menos 10% das mulheres maiores de 50 anos (que já passaram pela menopausa) possuem essas infecções.
A maior frequência em mulheres na menopausa é devido a mudanças no sistema genital e urinário. Isto é uma consequência das mudanças hormonais (Cedida, 2018; Gómez, 2010). Em linhas gerais, estas são (Angeluo et al., 2020; Duarte & Vargas, 2020; Gómez, 2010):

  • Mudanças no pH vaginal, que favorecem a colonização da área por bactérias.
  • Retenção de urina na bexiga, que pode incentivar o crescimento de bactérias.
  • Afinamento da mucosa da uretra e da vagina.
  • Pode haver fusão dos lábios maiores ou menores da vulva, tornando difícil a higiene.
  • Além disso, pode haver prolapsos vaginais, uretrais ou do assoalho pélvico. Estas podem ser uma consequência da menopausa, da idade e até mesmo do número de gestações e partos.

Fatores de risco

A menopausa aumenta o risco de infecção urinária, mas outros fatores também podem ter um papel importante. Por exemplo (MedlinePlus, 2020):

  • Diabetes.
  • Ter doenças renais, como pedras nos rins.
  • Incontinência urinária ou intestinal.
  • Ter um cateter urinário ou ter sido operado do trato urinário.
  • Ter problemas para esvaziar completamente sua bexiga quando urina.
  • Estar na cama por um longo tempo como acontece, por exemplo, com fraturas de quadril.

Sinais e sintomas de infecção do trato urinário

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. Entretanto, os mais comuns são os seguintes (Mayo Clinic, 2021):

  • Desconforto ao urinar, especialmente uma sensação de ardor.
  • Aparência turva da urina.
  • Também é possível notar urina de cor mais escura, avermelhada ou com manchas de sangue.
  • Urina com cheiro desagradável.
  • Pode ser que você tenha desejos frequentes de ir ao banheiro, mas apenas urinar pequenas quantidades.
  • Dor ao terminar de urinar.
  • Algumas mulheres podem sentir dor pélvica.

Estes sinais e sintomas podem ser suficientes para que seu médico reconheça uma infecção urinária. Entretanto, ele ou ela pode solicitar a análise laboratorial de uma amostra de urina para confirmar o diagnóstico. Isto pode ser feito através de um simples teste de urina ou cultura de urina.

E somente em casos graves, ou se o médico suspeitar de outra doença concomitante do trato urinário, poderá solicitar estudos de imagem como um ultrassom renal ou uma tomografia computadorizada (MedlinePlus, 2020).

Panorama geral do tratamento

O tratamento da infecção urinária é baseado em antibióticos. O tempo e o tipo de antibiótico a ser usado depende da pessoa, do histórico e, em alguns casos, dos resultados de laboratório (Mayo Clinic, 2020; MedlinePlus, 2020). Daí a importância de consultar um médico para prescrever o medicamento ideal para você e sua condição. Evite a automedicação!

Bibliografía 

Angelou, K., Grigoriadis, T., Diakosavvas, M., Zacharakis, D. & Athanasiou, S. (2020). El síndrome genitourinario de la menopausia: una descripción general de los datos recientes. Cureus12 (4), e7586. https://doi.org/10.7759/cureus.7586

Cedida. (2018, 18 de octubre). Las infecciones urinarias, uno de los principales problemas de la mujer en la menopausia. InfoSalus. https://www.infosalus.com/mujer/noticia-infecciones-urinarias-principales-problemas-mujer-menopausia-20181018165111.html

Duarte, M. & Vargas, S. (2020, 9 de septiembre). Tratamiento local del síndrome genitourinario en la menopausia. Revista Médica Sinergia. Vol. 5; Núm. 9.  https://revistamedicasinergia.com/index.php/rms/article/view/570/1003

Gómez, A. (2020). Menopausia. Salud genitourinaria. Offarm. Vol. 29; Núm. 5; Pág. 60-66. https://www.elsevier.es/es-revista-offarm-4-articulo-menopausia-salud-genitourinaria-X0212047X10556284

Mayo Clinic. (2020, 14 de octubre).  Infección de las vías urinarias. https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/urinary-tract-infection/symptoms-causes/syc-20353447

MedlinePlus (2020, 13 de agosto). Infección urinaria en adultos. https://medlineplus.gov/spanish/ency/article/000521.htm

Rincón, A. (2020, 11 mayo). Uso del arándano rojo para la prevención de las infecciones del tracto urinario. Revisión bibliográfica. Revista Electrónica de PortalesMedicos.com Vol. XV; nº 9; 352. https://www.revista-portalesmedicos.com/revista-medica/uso-del-arandano-rojo-para-la-prevencion-de-las-infecciones-del-tracto-urinario-revision-bibliografica/

Achou esse artigo útil?
Compartilhe com seus amigos:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *