Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Osteopenia e osteoporose: como se diferenciam?

8 Agosto 2022

Tanto a menopausa quanto a pós-menopausa são momentos na vida de toda mulher nos quais é preciso enfrentar novos desafios e experiências, como os calores ou a ausência de menstruação. Inclusive, podem ocorrer complicações, tais como a osteopenia e osteoporose.

Osteopenia é basicamente a perda da densidade mineral óssea, que pode ser evidenciada por equipamentos médicos tais como um densitômetro (Varacallo et al., 2022). Por outro lado, a osteoporose é uma perda acentuada e duradoura da densidade mineral óssea, na qual a estrutura interna dos ossos é alterada e enfraquecida pela formação de poros, o que predispõe a fraturas (Porter e Varacallo, 2022).

Sabendo disso, nota-se que os dois conceitos estão conectados. Na verdade, a osteoporose não é nada mais do que a progressão da osteopenia (Compston et al., 2019). Também, tanto a osteopenia quanto a osteoporose podem ocorrer durante o período da menopausa. Hoje vamos explicar tudo sobre isso.

Osteopenia e osteoporose: qual é a relação com a menopausa?

Você se pergunta por que a osteopenia e osteoporose ocorrem durante o período da menopausa? Bem, ainda que a resposta seja um pouco complexa, podemos resumi-la da seguinte forma (Hoffman et al., 2020; Karlamangla et al., 2018):

  • Durante a perimenopausa, existe uma diminuição na produção de hormônios como o estrogênio, que se acentua até depois da menopausa.
  • O estrogênio ajuda a regular a reabsorção óssea, um processo onde as partes mais antigas do osso são removidas. Assim, o osso removido libera minerais que são utilizados na formação de um novo osso.
  • Desta forma, a perda óssea é acelerada durante a menopausa sem ser compensada pela formação de um novo osso.
  • Isto ocorre mais marcadamente nos primeiros anos da menopausa, quando geralmente se apresenta como osteopenia.
  • Anos após o final da menopausa, tal osteopenia pode levar ao desenvolvimento da osteoporose.

Além disso, deve-se saber que nem todas as mulheres têm osteopenia ou osteoporose significativas para justificar o tratamento. Por este motivo, recomenda-se um monitoramento próximo para detectar quando o tratamento é justificado.

Osteopenia e osteoporose: como se diferenciam?

Sinais e sintomas

Tanto a osteopenia como a osteoporose (nos primeiros anos) podem ocorrer sem sinais ou sintomas. Mas à medida que se desenvolvem, especialmente a osteoporose, pode acontecer o seguinte (Li et al., 2010; Mayo Clinic, 2021):

  • Mudanças de postura (inclinada).
  • Dor nas costas.
  • Desconforto ou dor nas pernas ou braços.
  • Persistência dos sintomas por vários meses.
  • Diminuição da altura ao longo do tempo.
  • Fratura óssea mais facilmente do que o esperado.

A presença de fraturas implicaria na progressão da osteoporose. Portanto, é importante o diagnóstico precoce da osteopenia e osteoporose.

Como diagnosticar a osteopenia e osteoporose?

A fim de detectar a osteopenia cedo ou para fazer um diagnóstico de osteoporose, podem ser utilizados os seguintes métodos (Lewiecki, 2021):

  • Absorciometria por raios-X com dupla energia (em inglês: DEXA) ou densitometria óssea: mede a massa óssea e detecta a presença de osteopenia e osteoporose. Por esta razão, a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera este teste como padrão.
  • Ultrassonografia: a utilidade deste teste está sendo estudada atualmente, pois ele permite que a densidade dos ossos seja medida por ondas.
  • Tomografia computadorizada: é semelhante à densitometria, já que as imagens tomográficas também fornecem informações sobre a densidade óssea.

Tenha em mente que somente um profissional de saúde pode solicitar e interpretar tais testes.

Como prevenir a osteopenia e osteoporose durante a menopausa?

É importante que toda mulher que passa pela transição da menopausa (incluindo a menopausa precoce) tenha seus ossos monitorados por seu médico. Além disso, as seguintes recomendações podem ser consideradas (Rosen, 2022):

  • Manter uma dieta equilibrada que forneça proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais.
  • Antes da menopausa, garantir uma ingestão de 1000 miligramas de cálcio por dia; após a menopausa, pelo menos 1200 miligramas. Além disso, são necessários pelo menos 20 microgramas de vitamina D. A fonte de vitamina D e cálcio deve ser através da dieta, mas suplementos também podem ser usados.
  • Evite o álcool e o fumo.
  • Fortaleça seus ossos e músculos através de exercícios de resistência (como o uso de pesos). Você também pode correr e pular por pelo menos 30 minutos, três vezes por semana.
  • Se necessário, para outras complicações do climatério deve ser realizado um tratamento da menopausa adequado, que pode incluir terapia de reposição hormonal (Hoffman et al., 2020).

Agora você sabe o que são a osteopenia e osteoporose, seus sinais e sintomas, assim como são diagnosticados e recomendações para ajudar a prevení-las. Portanto, não deixe de aproveitar ao máximo este conhecimento para que você possa viver plenamente o seu dia a dia durante esta nova etapa.

Referências bibliográficas 

Compston, J.E., McClung, M.R., & Leslie, W.D. (2019). Osteoporosis. The Lancet, 393(10169), 364–376. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30696576/ 

Hoffman, B. L., Schorge, J. O., Halvorson, L. M., Hamid, C., Corton, M., & Schaffer, J. I. (2020). William’s gynecology (4th ed.). McGraw-Hill. ISBN: 978-1-260-45686-8 

Karlamangla, A. S., Burnett-Bowie, S. M., & Crandall, C. J. (2018). Bone Health During the Menopause Transition and Beyond. Obstetrics and gynecology clinics of North America, 45(4), 695–708. https://doi.org/10.1016/j.ogc.2018.07.012 

Lewiecki, E. M. (2021). Osteoporosis: Clinical Evaluation. En K. R. Feingold (Eds.) et. al., Endotext. MDText.com, Inc. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK279049/ 

Li, S., He, H., Ding, M., & He, C. (2010). The correlation of osteoporosis to clinical features: a study of 4382 Female Cases of a Hospital Cohort with musculoskeletal symptoms in Southwest China. BMC Musculoskeletal Disorders, 11(1). https://bmcmusculoskeletdisord.biomedcentral.com/articles/10.1186/1471-2474-11-183 

Mayo Clinic. (2021). Osteoporosis. https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/osteoporosis/symptoms-causes/syc-20351968 

Morsch, J. (2019). Densitometria óssea para diagnóstico de osteoporose. https://telemedicinamorsch.com.br/blog/como-e-feito-uma-densitometria-ossea 

Moura, A. (2019). Qual a relação da vitamina D com o cálcio na saúde dos ossos? https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/doencas-dos-ossos/relacao-vitamina-d-calcio-saude-ossos 

Rosen, H. (2022). Patient education: Osteoporosis prevention and treatment (Beyond the Basics). UpToDate. https://www.uptodate.com/contents/osteoporosis-prevention-and-treatment-beyond-the-basics 

Porter, J.L., & Varacallo, M. (2022). Osteoporosis. StatPearls Publishing. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK441901/ 

Secretaria Municipal de Saúde de Recife. (2009) Climatério. 

https://bvsms.saude.gov.br/climaterio/ 

University of Washington. (2017). Osteopenia. https://rad.washington.edu/about-us/academic-sections/musculoskeletal-radiology/teaching-materials/online-musculoskeletal-radiology-book/osteopenia/ 

Varacallo, M., Seaman, T.J., Jandu, J.S., & Pizzutillo, P. (2022). Osteopenia. StatPearls Publishing. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK499878/ 

Achou esse artigo útil?
Compartilhe com seus amigos:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *